05 abril 2006

Fede

“A urbanização da Quinta da China, do grupo Mota-Engil, vai ser executada. A Câmara do Porto faz marcha-atrás e revogou, ontem de manhã, a decisão do ex-vereador do Urbanismo, Paulo Morais, que indeferiu o pedido de licenciamento da operação de loteamento”

(JN)

Admito que a nova urbanização seja boa para a cidade – embora suspeite que será, sobretudo, para o promotor e os privilegiados que tiverem poder de compra para lá viver -, mas, depois de tudo o que se passou antes das autárquicas com o afastamento de Paulo Morais da listas de candidatura, que a coisa parece feder, parece.

1 comentário:

arquiekto disse...

quando se trata de imobiliario, os presidentes de camara são os primeiros a abrir as mãos.
A capa de seriedade é trocada ppor palavras tão ocas como desenvolvimento prosperidade ou a bem da cidade. Não há cú para os políticos!