06 março 2006

Um Metro que rende

"O título Andante, pela sua vertente reutilizável, poupou a vida a 487 árvores e evitou a utilização de 40 mil litros de água, que serviriam para fazer mais papel para bilhetes. O metro já economizou dois milhões de horas nas deslocações casas/trabalho, fez com que 2500 veículos deixassem de estacionar, diariamente, no centro do Porto, e evitou a emissão de 11 mil milhões de partículas poluentes, provenientes da circulação rodoviária. Trocado por números, um estudo elaborado pela empresa TIS sustenta que os benefícios sociais e ambientais do metro do Porto já ascendiam, a meio do ano passado, a quase 63 milhões de euros"
(PJ)

A isto chama-se dinheiro bem gasto. Agora, os senhores do costume que deixem de meter a mão ao bolso e permitam que a gestão seja feita por quem entenda do assunto e rentabilize ainda mais (de preferência baixando o preço para os utentes) um transporte que é uma indiscutível mais-valia para a região. Ainda por cima - claro, é de superfície -, o nossso Metro (eléctrico, chamem-lhe o que quiserem) é bonito e passa por estações lindíssimas.

1 comentário:

Solariso disse...

Sim, é bom que este tipo de informação seja facultada ao cidadão comúm para que ele cada vez mais perceba o impacto positivo que pode existir para a ecónomia caso as pessoas adiram aos transportes públicos, justificando os investimentos estatais, criando pressão para serviços de maior qualidade, mais diversificados e eficientes.

Excelente que tenha saido a noticia no Jornal.