28 junho 2006

Pérolas do Rio

"A Fundação Eugénio de Andrade vai receber 15 mil euros da Câmara do Porto, mas, por condição municipal presente no acordo entre as duas entidades, deve 'abster-se de, publicamente, expressar críticas que ponham em causa o bom nome e imagem do Município do Porto, enquanto entidade co-financiadora da actividade da sua representada'.
Esta condição gerou polémica, ontem de manhã, na reunião de Câmara. O presidente Rui Rio garante que a cláusula foi introduzida no mandato anterior e faz parte dos protocolos de concessão de apoios financeiros há cerca de dois anos. Os partidos da Oposição falam em censura."

JN

Claro que não é censura, é apenas PROIBIR de criticar. Dito de outra forma, o Rio paga para estarem calados. Caladinhos mesmo...

2 comentários:

Anónimo disse...

Se ainda ao menos fossem 15 milhões.... sempre dava pra pagar a outros para dizerem mal.
O problema é que por em causa o bom nome e a imagem deve ser coisa que qualquer cidadão de bem se coíbe de fazer, seja com instituições ou simples cidadãos. Criticar é outra coisa, não será?

Fernando Rogério disse...

A crítica não é o verdadeiro problema; a denúncia, sim, é o terror dos políticos